traduci

News

Entervista

A conclusão do Summit sobre o Made in Italy nos Paises BRICs temos entrevistado o Cônsul Geral do Brasil em Milão, Ex.mo Embaixador Synesio Sampaio Góes Filho.

Senhor Embaixador, quais são as características mais interessantes do Pais para fomentar um operador econômico italiano em investir no Brasil?

Os mais interessantes aspectos positivos do Brasil para os investidores estrangeiros são: um grande território (8,5 milhões de quilômetros quadrados); uma população de 184 milhões de habitantes (ativa de 90 milhões); possui 22% das terras agricultáveis no mundo; possui fronteira pacifica com dez paises; possui a maior e mais diversificada base industrial da América Latina e do Caribe; é o maior produtor mundial de café, laranja e cana-de-açúcar e de jatos regionais; é uma das doze maiores economias mundiais.

Possui também uma excelente rede viária e de transporte fluvial, alem de extenso litoral, com inúmeros portos, um dos mais modernos sistemas de telecomunicações, um dos mais modernos e avançados sistemas bancários do mundo e uma excelente infraestrutura para o turismo.

Foto. Il Console Synesio Sapaio Goes Filho (a sinistra) con il Presidente della Camera Luciano FelettoMais no particular, em quais oportunidades do “sistema Brasil” chamaria a atenção das empresas italianas?

E’ oportuno ressaltar que esta a disposição dos investidores a Rede Nacional de Informações sobre o Investimento – RENAI, mantida pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comercio Exterior – MDIC e conta com o apoio de parceiros como órgãos estaduais de fomento de investimentos e entidades de classe empresariais.

Por fim saliento, a existência do programa PPPs – Parcerias Publica-Privadas. Segundo analistas econômicos, em 2005 os investimentos estrangeiros no Brasil devem situar-se na faixa de US$ 15 bilhões, em setores como siderurgia, indústria automotiva, papel e celulose e eletroeletrônicos. As perspectivas de crescimento e os progressos no ambiente institucional para o acolhimento de investidores estrangeiras possibilitarão que, no médio prazo, os investimentos das PPPs em Infra-estrutura resultem em circulo virtuoso em diversas cadeias produtivas. Exemplos dessa nova realidade seriam melhorias nos portos, reduzindo-se custos de exportações, e recuperação de rodovias, viabilizando-se maior transito de mercadorias.

Existem, na Sua avaliação, setores o atividades que mais que outros podem ter major sucesso em comparação a outras economias? E quais os setores ou atividade que não aconselharia?

Os principais setores de exportação brasileira para o mercado italiano são: agropecuário, alimentício, mineral, couro e indústria da aviação.

LO Senhor participou, no outubro passado, ao Summit sobre o Made in Italy dedicado as paises BRICs: qual impressão levou da iniciativa e pensa que o desafio (seja também indireto) com Rússia, Índia e China foi útil ou interessante?

O fato de o Brasil estar incluído entre os gigantes do mundo em desenvolvimento é por si mesmo demonstrativo da sua importância no mundo da economia.

São paises que tem muito em comum – para começar território, população e progresso econômico – mas que também competem entre si por investimentos. Para a Itália o Brasil apresenta a vantagem de ser já conhecido, ter a mesma cultura, contar com cerca de 30 milhões de oriundos.

Pode indicar quais podem ser os suportes e serviços que o Consulado pelo Senhor liderado pode fornecer as empresas italianas?

O SECOM - Milão tem como jurisdição todo o território da Itália e o da Albânia. Em suas atividades diárias interage principalmente com pequenas e medias empresas brasileiras que buscam individualizar oportunidades no mercado italiano e suas similares italianas interessadas em importar produtos brasileiros.

A ultima pergunta: em base a Sua experiência, qual acha deve ser o espírito “justo” com o qual as empresas italianas devem enfrentar o mercado brasileiro?

Saber que o Brasil é um pais de economia e sociedade bastante diversificada, tem do melhor e do pior. Não chegar no Brasil achando que vai levar a luz para a caverna. Ter paciência para enfrentar as dificuldades iniciais.

<< Back